NOTÍCIAS

17/06/2019 22:43:52

EAPIC recebe III Prova de Ranch Sorting

Em 2018 modalidade registrou tempo recorde em São João

Nos dias 6 e 7 de julho, a arena da 46ª EAPIC recebe a III Prova de Ranch Sorting, nas categorias aberta e amador. As classificatórias acontecem no sábado e domingo, à tarde. A semifinal será no sábado e domingo à noite e a grande final no domingo à noite.

No Ranch Sorting, dois competidores apartam o gado em ordem numérica pré-determinada. O gado fica de um lado em um curral e os competidores do outro lado, no outro curral. Eles devem transpor entre os currais em ordem, a partir da liberação de início da prova.

No começo, um número é indicado pelo locutor. Se o número for o 3, por exemplo, os competidores iniciam pelo 3 e seguem a sequência crescente 4,5,6,7,8,9,0,1,2 . Quem ganha a prova é aquela dupla que transpor o maior número de gado no menor tempo.

Se a dupla passa um boi fora da ordem, um SAT (Sem Aproveitamento Técnico) é dado. A prova é interrompida sem aproveitamento. Também pode ocorrer SAT pela violência desnecessária com os cavalos e o gado.

A PISTA

O gado é colocado em uma pista em formato de 8 com dimensões que variam de tamanho (entre 15 e 18 metros de diâmetro cada curral) e com uma abertura entre eles de 3,87 a 4,70m.

O TEMPO

O tempo máximo da prova de Ranch Sorting varia de 60, 75 ou 90 segundos definidos pelo organizador do evento.

O GADO

O gado utilizado no Ranch Sorting é de cruzamento industrial e/ou gado de origem europeia, animais que respeitam o cavalo.

O CAVALO

Todas as raças de cavalo podem ser utilizadas no Ranch Sorting, até os SRD – Sem Raça Definida.

Os animais devem ter habilidade para lidar com o gado xucro. Alguns competidores treinam com gado manso e, nas provas, se deparam com um gado mais rápido. Dessa forma, não se saem bem. 

RECORDE EM 2018

Os competidores de Ranch Sorting Vinícius Lélis, de Batatais, e Guilherme Brisighello, de Mococa, conseguiram um grande feito durante a 45ª EAPIC, em 2018.

Os dois fizeram a prova no tempo de 23s44, tempo abaixo dos recordes brasileiro e mundial.

Como a prova realizada na EAPIC era independente, o tempo dos competidores não foi registrado oficialmente. Porém, a atuação dos dois foi aplaudida por competidores do Brasil todo.

No país, o esporte chegou em 2008.

Em São João da Boa Vista a modalidade é praticada no CT Oficina do Cavalo, que firmou parceria em 2017 com o treinador Claudionor Soares, o Nani, reconhecido no cenário nacional.

Isso elevou a Oficina do Cavalo como um expoente dentro da modalidade. Desde então foram vários títulos, premiações e conquistas nos eventos oficias da ABQM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha).