Exposições - Cavalos de Tração

Entrada dos animais: 06 e 07/07/2016
Exposição: 08 e 09/07/2016
Provas: 10/07/2016
Informações: Marcelo Bertoldo (19) 9.9794.4597

3ª MOSTRA DO CAVALO BRETÃO E CONVIDADOS NA EAPIC – 08 a 10/07/2016

Pela terceira vez estaremos apresentando animais da Raça Bretã na cidade de São João da Boa Vista, e convidamos outras raças de tração, que estão confirmando suas presenças, como o Friesian, o Clydesdale, o Gypsy Cob e o Percheron.
Teremos stand da Raça com apresentações dos animais em carruagens e carros clássicos e esportivos, vendas de animais e coberturas ou sêmen de garanhões no 1º turno, no período de 08 a 10/07.
Faremos provas de gincana na sela e na atrelagem no dia 10/07, domingo à tarde, de acordo com as inscrições.

Abaixo um pouco da história e características da Raça Bretã.

Cavalo Bretão: De origem francesa, da região da Bretagne, Noroeste da França, e considerada a raça de tração mais difundida na França, Europa e Brasil, o Bretão foi eleito o preferido dos pequenos e médios agricultores, sendo um substituto eficiente de burros, mulas e de pequenos tratores, e por ser muito dócil, forte, rústico, e de fácil doma, é excelente para puxar carruagens e troles, para família toda.

O Bretão chega a pesar 1100 kg e medir 1,70m de altura na cernelha, a média é de 1,58 m de altura e 850 kg. É utilizado para puxar carruagens e troles em passeios turísticos, em passeios de lazer, em provas de atrelagem esportiva, e como montaria na sela em desfiles e no policiamento. Na lida, puxa toras nos reflorestamentos, na extração de madeira, além de ser usado na aração da terra e no manejo das fazendas com os carroções. É um excelente formador e melhorador de tropa para trabalho, de mestiços, podendo ser cruzado com quaisquer raças e pode-se também cruzar éguas mestiças com jumento para formar burros ou mulas de trabalho.

As pelagens permitidas são a alazã, a castanha e a rosilha, e suas variações. Um Bretão puro consegue puxar um implemento sem rodas de até 1.750 kg, e um veículo com rodas até 4 vezes o seu peso, +- 3500 kg.

Veio para o Brasil em 1926, através do Exército Brasileiro, quando chegaram os primeiros exemplares puros, hoje possui um plantel de 2900 animais registrados desde 1989 no Serviço de Registro Genealógico da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Bretão, sediada atualmente em Amparo-SP.

Conheçam mais a raça pelo site www.cavalo-bretao.com.br.

Raças Convidadas

Percheron: É a raça de tração de nome mais popular do mundo. Originários da França, da região da atual Normandia, estes animais fazem muito sucesso na América do Norte e aqui na América do Sul. Dono de grande força e elegância, o Percheron é utilizado em diferentes funções na atrelagem. No Brasil a raça foi introduzida também por volta de 1925, numa iniciativa do Exército, além das companhias Matarazzo e Cervejaria Antarctica, que utilizavam estes animais para puxar os carroções de entrega na cidade de São Paulo. Tem como altura média 1,65, podendo chegar a 1,80, e seu peso entre 800 e 1100 kg. As pelagens permitidas são a tordilha e a negra. É registrado pelo ANC-Herd Book Collares em Pelotas-RS, e tem cerca de 1820 animais registrados até hoje, e possui a Associação Brasileira do Percheron criada em 2009.

Friesian: Raça de origem holandesa, da região da Frízia, é criada em vários países do mundo, começou a ser importado para o Brasil no ano de 2009, hoje deve ter cerca de 100 animais no plantel brasileiro, e o serviço de registro genealógico está sendo controlado pela ABCCBH, desde 2013 e as aprovações e registros anteriores foram feitos pelos técnicos da Associação Holandesa- KFPS.
São animais dóceis, e que possuem dupla aptidão: sela e atrelagem , com um trote característico, muito apreciado no adestramento, e tem como característica forte, longos pelos nas crinas e patas.
A única pelagem permitida é a negra, e têm o porte ente 1,65 e 1,75 m com peso entre 500 e 700 kg.

Clydesdale: Raça de tração originária da Escócia, no vale do rio Clydes, o Clydesdale também conquistou a América, especialmente os Estados Unidos e Canadá, que já concentram as maiores criações mundiais da raça. O Clydesdale chega a pesar 1.200 kg, sendo a média 850-950 kg e podem ultrapassar 1,80m de altura na cernelha. Chegou no Brasil em 1999, mas só começou a ser criado em 2008, com animais importados dos EUA. Hoje tem cerca de 35 animais no Brasil, concentrados no Sudeste (Rio de Janeiro e São Paulo) e não possuem Associação ou registro aqui no Brasil, ainda são registrados nos EUA.

Gypsy Cob: Aqui no Brasil chamado de Gypsy Horse, é uma raça desenvolvida pelos ciganos Europeus, na Grã-Bretanha, por isso seu nome Gypsy. Ele é oriundo de cruzamentos de raças de pôneis e cavalos de tração pesada, Clydesdale e Shire, e por isso têm seu padrão variável, tendo dois portes, o pequeno, mais comum de 1,38 a 1,45m, com peso entre 350 e 500 kg e o maior de 1,46 a 1,65 m de altura, com peso entre 500 e 700 kg. È bem difundido pelo mundo inteiro e é conhecida também como Gypsy Vanner, Tinker e Irish Cob. Ainda não possui Associação Brasileira para controle dos registros, ainda estão sendo registrados na Inglaterra. Foi trazido para o Brasil no final de 2010, e começou a ser criado em 2011, com as matrizes e garanhões importados da França. Possui cerca de 50 animais no Brasil, mais concentrados no Estado de São Paulo e está começando a ser criado nos estados de SC e RS.
O Gypsy Horse é dócil e também tem dupla aptidão: para sela e atrelagem. Apresentam longas crinas e pelos nas patas em abundância.

Todas raças participarão de apresentações de atrelagem e sela, e poderá haver um Test Drive para as pessoas que quiserem experimentar, dar uma volta ou conduzir estes belos animais e raros de se ver reunidos num mesmo local, dependerá da disponibilidade de horários da pista ou do espaço reservado.

Susana Reinhardt
Zootecnista
Diretora Técnica, Juíza e Superintendente da ABCCBretão

Exigências Técnicas para Entrada no Recinto de Exposições

• Exame negativo de Anemia Infecciosa Equina (A.I.E.), realizado até 60 dias antes da data de início do evento, acompanhando a respectiva guia de trânsito.
• Exame negativo de Mormo, realizado até 60 dias antes da data de início do evento.
• Fica dispensado do exame de A.I.E. o equino com idade inferior a 6 meses, desde que acompanhado da mãe, e esta apresente resultado negativo de A.I.E.
• Atestado de vacinação contra Influenza Equina e atestado emitido por veterinário relatando a não ocorrência clínica da doença no estabelecimento de origem nos últimos 30 dias que antecederam a emissão do documento de trânsito.
• Para Raiva dos Herbívoros, nos locais onde a vacinação contra a doença não for obrigatória, os animais devem proceder de estabelecimento onde, nos 30 dias anteriores à emissão da GTA, não tenha sido constatada a ocorrência das doenças, assim como nas circunvizinhanças do mesmo, num raio de até 12 km.
OBS: Todos os documentos devem ser originais, não sendo aceito cópias

Dados para emissão da nota fiscal e GTA

Sociedade Sanjoanense de Esportes Hípicos
Recinto de Exposições José Ruy de Lima Azevedo
Avenida Senador Marcos Freire, s/n, Jardim Aeroporto
CEP: 13.875-490 São João da Boa Vista-SP
CNPJ: 97.403.281/0001-65
Código do estabelecimento: 3549102107-7

Desenvolvimento @fleg.com.br | 2016